Por que existem editoras pequenas?

 Após escrever um livro, é comum que todo autor sonhe em vê-lo publicado por uma editora grande, com uma alta tiragem, matérias em jornais e distribuições em livrarias pelo Brasil. Então o autor vê como funciona o envio de originais e manda o seu futuro livro para análise. Passam-se alguns meses e a editora envia uma carta ou e-mail recusando a obra. Na maioria das vezes, isso não acontece porque a qualidade do original é ruim, mas porque chegar a uma grande editor é difícil.

Por que existem editoras pequenas?

Publicar um livro em grande tiragem requer − além de custos comuns como criação de capa, diagramação e revisão − um bom investimento em marketing. Colocar o livro na vitrine de uma livraria, por exemplo, é pago e é bem caro. Posicioná-lo de forma a ter mais visibilidade também é pago. Uma assessoria de imprensa idem. Um anúncio então… Por conta disso, é comum que uma editora grande publique pouquíssimos livros por mês. O problema é que ela recebe muitos originais por dia e a maior parte desses textos acaba nem sendo lido, quanto menos analisado.

Como o investimento de uma grande editora em cada livro é alto, ela precisa ter a certeza de que a obra terá boas vendas após o lançamento. Como você, autor, pode convencer uma editora de que o seu original pode ser esse livro? A resposta é: comece a construir sua carreira desde já, a manter um público fiel e a ter números de vendas consistentes. Isso vai chamar atenção de uma editora grande em algum momento.

Vou dar dois exemplos de sucesso: André Vianco e Eduardo Sphor. O primeiro bancou a publicação de seu livro de estreia do próprio bolso e foi pessoalmente negociar consignação com livrarias. Com o bom número de vendas e o considerável público cativo, uma editora grande se interessou pela obra e resolveu publicá-la. Já com Eduardo, seu A Batalha do Apocalipse foi lançado de forma independente pela internet e vendeu 4 mil cópias até uma editora de grande porte resolver investir na obra. 

Mas por que existem editoras pequenas afinal de contas?

Ok, ainda não respondi a pergunta do título, mas vamos lá: para construir uma carreira, você precisa de títulos publicados. Investir no mercado de ebooks pode ser uma boa, só que o número de vendas de livros digitais vem caindo e não representa 5% do mercado literário brasileiro. O que te coloca em duas possibilidades: 1) contratar profissionais (revisor, capista, diagramador, finalizador gráfico etc.) e fazer tudo de forma independente, tendo que divulgar seu livro sozinho; 2) procurar uma editora pequena.

Uma editora pequena é focada em autores que estão em início de carreira, buscando se tornar conhecidos, expor trabalhos e crescer no meio literário. Diferente do que muitos pensam, quase todos autores começaram dessa forma. Se tornar um grande autor é uma caminhada longa.

Por investir em autores cujo número de vendas ainda é incerto, é comum que as editoras pequenas façam a coparticipação. Ou seja, dividam os custos de publicação com o próprio autor. Em geral, com a venda do livro após o lançamento, o autor vai tendo o dinheiro de volta gradativamente. Esse modelo é necessário para que a editora se sustente, pague seus profissionais e possa continuar investindo em novos livros, participar de feiras literárias, expor livros em eventos e ter estrutura para negociar seus melhores títulos em algumas livrarias.

Antes de procurar uma editora pequena e investir seu dinheiro, analise se a editora, assim como você, quer crescer e também se tornar grande um dia. Converse com autores que já publicaram por ela, veja se ela se preocupa em divulgar seus livros pelas redes sociais ou apenas posta foto de lançamento. Seja grande ou pequena, uma editora é uma parceira na realização de seu sonho, e precisa estar em sintonia com os seus desejos.

Um comentário sobre “Por que existem editoras pequenas?

Os comentários estão fechados.

error: Content is protected !!